segunda-feira, 9 de julho de 2012

O Diário de Renesmee IV: Capítulo 4


'O Diário de Renesmee IV' é a continuação da fanfic ‘O Diário de Renesmee’ 'O Diário de Renesmee II e III', e não tem nenhuma ligação com as mini fanfics ‘Tudo o que você sempre quis saber da Família Cullen’ ‘Emmett ensina travessuras a Nessie’.



É indicado que antes de ler esta fanfic você já tenha lido 'O Diário de Renesmee I''O Diário de Renesmee II' e 'O Diário de Renesmee III'.

Sobre os erros de português : Pedimos desculpas pelos erros de português que encontrarem na fanfic e fazemos o máximo possível para arrumar esses erros. Porém, como ninguém é perfeito, pode ser que ainda tenha alguns erros na fanfic.

Sobre ser lançado um livro com a fanfic: A fanfic é baseada na história da Stephenie Meyer e os direitos autorais são todos dela. Não podemos lançar um livro com a fanfic e não temos intenção nenhuma de fazer isso.

Sobre os capítulos : Os capítulos serão postados por semana, e qualquer imprevisto avisaremos nas redes sociais.

Abraços,
Anielle, Melissa e Dhayane.




Capítulo 4
Desconfiada
Narrado por Renesmee



Dois meses se passaram após meu casamento. Passei a analisar tudo com mais cautela depois que me casei, as coisas pareciam mais intensas na minha vida amorosa, e os problemas passavam longe. Ou era eu que não estava procurando por problemas, pelo menos não por ora...

Fiz minha matrícula na faculdade de Minnesota assim que cheguei a International Falls. Acabei pensando melhor e não optando por Medicina, e sim por Direito. Jacob dizia que eu iria me dar bem, pois era teimosa o suficiente e meus argumentos eram adoráveis para convencer as outras pessoas, segundo ele. Eu estava feliz com a minha decisão, mas não anulei totalmente a faculdade de Medicina. Eu poderia cursar depois que terminasse essa, ou no futuro próximo.

Ah, International Falls, que cidade! Apesar do clima, as pessoas eram calorosas. O que me fez pensar que os calouros – por exemplo, eu – iriam ser bem recebidos no primeiro dia de aula.

O que observei por aqui desde que cheguei é que havia muitos casais jovens assim como eu e Jacob. Era mais fácil de misturar-nos em meio a tantos casais. A maioria da população era casada, e isto me deixou mais tranqüila. Não suportava a idéia de Jacob sendo cobiçado por todas as mulheres solteiras da cidade.

Falando sobre meu marido – lindo e charmoso, continuava o mesmo. Sempre me surpreendendo com seus pensamentos e me completando de todas as maneiras possíveis.
- Jake? – Chamei-o para me ajudar a plantar as flores no jardim.

- O que houve? – Ele veio franzindo a testa, preocupado. Talvez porque levantei um quarto de minha voz ao chamá-lo.

- Não é nada. – Sorri. – Só preciso de ajuda com as flores.

Ele se adiantou e me ajudou com a caixa cheia de flores que tínhamos acabado de comprar.

Nossa nova casa tinha um jardim modesto, nem grande nem pequeno. Apenas um espaço para quando eu precisasse de um tempo para refletir, com ou sem meu marido. Nossa casa ficava perto da Universidade de Minnesota e eu poderia ir caminhando até lá. O nosso pequeno sobrado era pequeno o suficiente para duas pessoas, a não ser pelo imenso quarto e banheiro que ficavam lá em cima. E tínhamos também um escritório médio cheio de prateleiras com meus livros favoritos.

Nosso sobrado foi um maravilhoso presente de meus pais. Minha mãe disse que eu e Jacob iríamos precisar de um canto só nosso, para aproveitar o casamento e adaptar-se um ao outro. Eu achei bom, mas queria manter minha família por perto. Por isso, fizemos o acordo de que eu e Jacob moraríamos três meses sozinhos e depois todos os Cullen e Seth e Melissa viriam morar aqui também.

Depois que lavei minhas mãos cheias de terra e ganhei um beijo no rosto de Jacob, subi para o quarto do casal a fim de arrumar minhas roupas. Alice não gostou nada de eu não ter um closet, mas o armário que eu havia escolhido era grande e espaçoso e havia espelhos pelo quarto, assim eu conseguiria manter meu fashionismo.

Organizei minhas roupas e percebi que havia mais casacos e calças do que vestidos. Eu adorava meus vestidos e não poderia usá-los em uma cidade fria como International Falls.

- Alice? – Liguei para ela, pedindo ajuda. – Não sei o que fazer com meus vestidos, eu não trouxe todos, é claro... Mas quero usá-los mesmo aqui neste frio.

- Nessie, Nessie! – Ela deu sua típica risada de sinos. – Você nunca ouviu falar de meia calça e, sobretudo? Ah, também existe aquelas meias grossas para usar com bota, e...

Ela começou a tagarelar com várias opções para usar vestidos no frio. Eu adorei suas idéias, e agradeci, desligando o telefone com a desculpa de ter que ir ao mercado.


- Vamos? – Perguntei a Jacob, enquanto entrávamos no mercado de mãos dadas.

Comecei a pegar as coisas que estavam em minha lista. Eu iria cozinhar coisas básicas, mas gostosas. Jacob só segurava as cestas com os produtos para mim, enquanto eu enchia cada uma delas.

- Eu quero este. – Jacob opinou sobre o tipo de cereal que comeríamos no café da manhã. Mas aquele era o que eu menos gostava, por isto peguei o meu favorito.

- Nessie! – Jacob reclamou com um biquinho. – Eu não gosto deste...

- Mas, Jacob... Eu também não gosto daquele.

Ele riu, mas ainda estava mal humorado porque eu não tinha pegado o seu cereal favorito. Eu também fechei a cara para ele, e continuamos com as compras, até que uma senhora se intrometeu na nossa pequena discussão.

- Casais jovens, sempre discutindo por bobagens. – Ela disse.

Ela tinha uma aparência física comum. Era magra, aparentava ter mais de cinqüenta anos, seu cabelo era tingido de um loiro bege que disfarçava seus fios brancos, e suas roupas eram chiques e elegantes.

Forcei um sorriso para a senhora, e sinceramente, não vi qual foi a reação de Jacob. Ela teria que aprender que não era educado se intrometer em briga de marido e mulher...

Assim que acabamos as compras, fomos para o carro guardar as compras. O céu estava nublado, e o tempo estava instável, iria chover... Jacob tentava chegar ao nosso carro o mais rápido, mas mesmo assim não adiantou. Os pingos de chuva começaram a cair, e a camisa branca de Jacob começou a ficar transparente.

- Temos um guarda-chuva no carro? – Perguntei a Jacob, esperando fervorosamente que a resposta fosse sim.

Jake negou com a cabeça, e continuou a guardar tudo e molhar-se.

- Aqui! – Uma voz desconhecida aproximou-se, e eu e Jacob nos viramos para olhar.

Era a mesma senhora que havia se intrometido em nossa pequena discussão do cereal. Ela trazia um guarda-chuva consigo indo na direção de Jacob.

- Tomem. – Ela sorriu. – Sei onde moram e irei amanhã pegar meu guarda-chuva.

Jacob a agradeceu. E eu apenas sorri para a senhora. Era muito gentil da parte dela evitar que eu e meu marido nos molhássemos, mas quando ela disse que sabia onde morávamos senti uma pequena desconfiança.


Já em casa, com as compras guardadas e tomando sorvete no sofá, resolvi descansar. Essa semana era minha última semana de mordomia. A semana que vem a faculdade iria começar, e eu não sabia se estava pronta.

- Sorvete? – Jacob juntou-se a mim no sofá, e é claro que pegou uma colherada do meu sorvete.

- Jake... – Comecei. Afinal, eu não sabia o que queria dizer...

- Sim? – Ele me olhou desconfiado e curioso.

- Aquela mulher... Você não achou a atitude dela... Estranha? – “Estranha” era a única palavra que encontrei para descrever o que eu achava.

Jake riu, leve e sossegado. Ele me olhou de novo, e pegou mais um pouco do meu sorvete.

- É apenas uma senhora, Ness. Pare de ser boba! – Ele riu mais uma vez e eu de raiva peguei a colher de sorvete e sujei o nariz dele.

Ele fingiu estar bravo, e quando percebi que ele iria se vingar me sujando também... Corri. Ele correu atrás de mim segurando o sorvete e rindo, e eu fugi dele, subindo pelas escadas e indo para o nosso quarto.


Acordei e a luz que vinha da janela machucou meus olhos e eu os fechei novamente. Jacob havia me sujado de sorvete ontem à noite, o que resultou em um banho na nossa banheira para tirar o sorvete do meu cabelo.

Jake não estava na cama, então me levantei e vesti um roupão. Desci as escadas, quietinha, e me deparei com meu marido roncando no sofá. Eu ri e deixei-o dormindo, fui preparar o nosso café.

Enquanto fritava waffles, percebi que essa semana eu estava muito desconfiada. Qualquer sorriso ou cumprimentos dos vizinhos eu estranhava. Bom, talvez fosse uma cisma minha. Toda a história que eu havia ouvido antes da minha lua de mel e estava arrumando minhas coisas foi bem assustador.

“Eles não estão mais procurando por nós, Edward” – Alice disse. Ela e meu pai estavam no escritório de Carlisle, e eu estava passando quando ouvi que eles estavam sussurrando. O ‘eles’ se referia aos Volturi, é claro.

“Eu sei, Alice, mas deixá-los morando sozinho pode ser perigoso.” – Meu pai disse, preocupado.

Desvendar de quem minha família falava – mesmo sem citar nomes – foi um dos meus dons adquiridos morando com eles. Entendi que eles estavam falando de mim e Jacob.

“Não, Edward!” – Alice levantou a voz. “Você não vai fazer isso! Eu poderei vigiá-los daqui, e vou saber se algo estiver a acontecer... Você não vai mesmo alugar algo perto para vigiá-los! Sua filha está casada e merece um tempo com o marido dela!”

“Alice, os Volturi são imprevisíveis.” – Meu pai disse, sussurrando novamente.

“Se fizer o que pretende fazer, eu contarei tudo a Bella. E você sabe que ela ficará bem brava ao saber que você está planejando vigiar Renesmee.” – O tom de voz de Alice era ameaçador, e eu não duvidei de que ela proibiria meu pai de me vigiar, enquanto eu morava com Jacob.

Pensando no que ouvi, deixei queimar as waffles. Joguei fora as que estavam queimadas, e comecei a derreter o chocolate. Talvez eu só estivesse desconfiada por causa da conversa de Alice e Edward, era só isso...

- Ah! – Dei um grito quando Jacob me surpreendeu, abraçando minha cintura.

- Calma, Ness. – Jacob riu. – O que tem para o café?

- Waffles com chocolate. – Respondi. E ele sorriu pra mim, o que me fez largar o que estava fazendo para ir beijá-lo.


A campainha tocou, e eu já sabia exatamente quem era. Abri a porta fingindo surpresa, e lá estava ela.

- Olá. – Cumprimentei-a.

- Olá, Sra. Black, eu vim aqui para...

- Eu sei. – Sorri. – Seu guarda-chuva. Espere aqui que eu vou buscá-lo.

Voltei com o guarda-chuva seco. Ela o pegou e me agradeceu por tê-lo deixado secar.

- À propósito, sou a Sra. Abigail Matthew. Moro na esquina. – Ela disse.

- Ah, sim. – Sorri. - Bem, eu sou Renesmee Black... Como você já sabe.

- Sim, querida. Novas pessoas na cidade são comentadas. – Ela riu.

Eu fiquei curiosa para saber o que estavam falando sobre mim e Jacob na cidade.

- Comentários bons ou ruins? – Perguntei.

- Bons, é claro. Muito bons. Mas, se quer um conselho, eu ficaria de olho se seu marido fosse meu marido. – Ela riu, e eu me espantei. Meus olhos me arregalaram, e agora eu tinha certeza de que a mulher era mesmo intrometida. – Desculpe, querida. Só estou avisando...

Ela se desculpou quando percebeu que eu não esperava por aquilo. E eu disse que estava tudo bem. Ouvi uma risadinha de Jacob vindo de dentro da nossa casa, iria matá-lo quando a Abigail fosse embora.

- Então, é isso. Obrigada pelo empréstimo do guarda-chuva. Espero poder retribuir de alguma forma, algum dia. – Sorri verdadeiramente.

- Imagina, se precisar, estou aqui. Tenha uma boa noite!

A senhora foi embora, e eu tranquei a porta. Jacob me esperava sentado no sofá, eu olhei para ele com cara feia.

- Qual é, amor? – Ele disse. – Está com ciúmes?

Ele estava debochando da minha cara. Ou melhor, ele estava convencido porque era o assunto de todas as mulheres na cidade. Isso me fez pensar na faculdade, nas meninas de lá... Ai!

- Não estou com ciúmes, Jacob. – Eu respondi, seca. – Só acho que não deveríamos chamar tanto atenção aqui, e estamos chamando.

Jacob não pareceu prestar atenção no que falei, então subi para o nosso quarto. Enquanto colocava meu pijama, resolvi parar de ser boba – assim como Jacob achava que eu era – e esquecer todas as desconfianças sobre Abigail. Algo dentro de mim dizia que aquilo se chamava intuição e que algo não acabaria bem, mas eu ignorei, dizendo a mim mesma que não era nada demais, e sim uma senhora intrometida.

Toda a minha vida eu ouvi conversas sobre os Volturi e da quase batalha que aconteceu. Eu era insegura em conhecer novas pessoas, e isso me deixava desconfiada. Eu não sabia se alguém poderia estar me espionando ou se eu poderia perder minha família e Jake a qualquer momento...

Deitei na cama, concentrada em esquecer minhas bobagens, quando ouço a porta se abrir. Meu marido deitou na cama, e me puxou para junto dele, fazendo carinho em meu cabelo.

- Me desculpe. – Jake disse, baixinho.

- Pelo quê? – Perguntei. Ele não havia feito nada sério para pedir desculpas.

- Por duvidar de você, às vezes. Eu não devo duvidar de você, sua intuição está certa na maioria das vezes – Ele disse.

- Tudo bem. – Respondi, sonolenta. O carinho que ele fazia em meu cabelo era confortável, e meus lábios procuraram os dele. Jacob retribuiu o beijo mais intensamente do que eu estava esperando, e a nossa noite rendeu vários e vários beijos.


Hoje é o grande dia! Minha primeira vez na faculdade, minha e de Jacob.

Eu estava ansiosa querendo saber como tudo iria ser, mas o fato de Jacob estar passando por essa experiência junto comigo – e ter esperado por mim – era mais confortador. 

Acordei cedo, e quase não dormi na noite anterior, mas não me sentia cansada, e sim animada pelo grande dia.

Meus pais já haviam me ligado, assim que acordei. Eles me desejaram boa sorte e disseram que estavam com saudades. Eu também estava, com muita, muita saudade. Apesar disso, ainda queria passar mais algum tempo com o meu marido.

- Jake? – Eu chamei-o assim que saí do banho.

Ele já estava arrumado para a faculdade. Homens. Tão simples de se arrumarem. 
Camiseta, calça, pentear o cabelo... E já estão prontos. Bufei, com raiva.

- O que eu fiz? – Ele riu.

- Não é nada com você. – Eu ri, e decidi manter meus pensamentos só para mim.

A idéia de privar meus pensamentos me deixou aliviada, era bom não ter meu pai por perto ouvindo tudo o que se passava na minha mente...

- E então? Por que me chamou, amor? – Ele perguntou, de uma forma curiosa.

- Ah, eu preciso que você me ajude a escolher uma roupa. – Ele fez uma careta, e eu expliquei novamente. – É só dizer se estou bonita ou não...

Jake jogou-se na nossa cama, enquanto me assistia pegar várias combinações de roupas.
- Isso é fácil. Você está sempre linda. – Ele disse.


Depois de vestir várias roupas, decidi ir básica. Coloquei minha camiseta branca e meu jeans preferido.

- Nervosa? – Jacob perguntou quando saímos do carro em direção a Universidade de Minnesota.

- Estou pronta. – Respondi, com toda a certeza. Eu estava pronta para começar novas experiências. Eu estava pronta para um novo começo.

Esperamos que gostem e comentem! 

Abraços!

10 comentários:

  1. Que maraaaaaaa!!!!Perfeito d+!Continuem assim,porque ta bom d++++++++++++++!!!!

    ResponderExcluir
  2. aiii ficou maravilhoso,tbm fiquei desconfiada dessa moça intrometida

    ResponderExcluir
  3. muuuuuuuuuuiiiiiiiiiiiiittttto bom quero mais.
    rsrsrs.
    sei que vou ter que esperar so nao demora muito ai ta bom!
    denise.

    ResponderExcluir
  4. queria saber: quando que vai ser postado o capitulo cinco?
    ah, eu adoro as fanfics de voces! elas sao demais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo elogio!

      O capítulo 5 será postado essa semana, mas não sabemos o dia exato. Fique ligada na nossa página do facebook e no nosso orkut :)

      Abraços!

      Excluir
  5. Ameiiii.Vocês estão de parabéns.Desde que comecei a ler não consigo parar mais.Não vejo a hora de ler o capitulo 5.O face de vocês é o mesmo nome do site?e o capítulo 5 sai essa semana ainda?
    parabéns novamente e beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, de verdade!

      Sim, o nosso facebook é o Everything About Twilight (http://www.facebook.com/pages/Everything-About-Twilight/245866558799682).

      O capítulo 5 sai essa semana sim :)

      Abraços!

      Excluir

Pedimos que comentem suas opiniões, críticas e ideias com o devido respeito, ou seja, sem palavras obscenas ou grosseiras. Caso contrário, seu comentário será deletado.

Sintam-se a vontade para perguntar e tirar suas dúvidas sobre qualquer postagem do blog. Se quiser que uma resposta de volta, deixe seu e-mail. Abraços!