sexta-feira, 29 de novembro de 2013

O Diário de Renesmee IV: Capítulo 13 - Parte II

O Diário de Renesmee IV' é a continuação da fanfic ‘O Diário de Renesmee’ 'O Diário de Renesmee II e III', e não tem nenhuma ligação com as mini fanfics ‘Tudo o que você sempre quis saber da Família Cullen’ ‘Emmett ensina travessuras a Nessie’.


É indicado que antes de ler esta fanfic você já tenha lido 'O Diário de Renesmee I''O Diário de Renesmee II' e 'O Diário de Renesmee III'.

Sobre os erros de português : Pedimos desculpas pelos erros de português que encontrarem na fanfic e fazemos o máximo possível para arrumar esses erros. Porém, como ninguém é perfeito, pode ser que ainda tenha alguns erros na fanfic.

Sobre ser lançado um livro com a fanfic: A fanfic é baseada na história da Stephenie Meyer e os direitos autorais são todos dela. Não podemos lançar um livro com a fanfic e não temos intenção nenhuma de fazer isso.

Sobre os capítulos : Os capítulos serão postados por semana, e qualquer imprevisto avisaremos nas redes sociais.

Abraços,
Anielle, Melissa e Dhayane.


Capítulo 13
Recomeço
Narrado por Renesmee e Tyler


Clique aqui se quiser relembrar o último capítulo!



Já se passaram duas semanas desde o acontecimento de Jacob e este curou-se rapidamente e resolveu voltar a estudar o mais rápido possível. Minha família tentou convencê-lo a descansar um pouco mais antes de voltar a rotina, mas ele quis lidar normalmente com tudo o que tinha acontecido.

Eu tinha certa impressão que o verdadeiro motivo para ele voltar às aulas era eu. Ele ficava inquieto quando eu o tocava e quase sempre parecia fugir de mim, inclusive quando eu tentava fazê-lo falar sobre os dias de tormento com Marcus.

Tentei fazer minha mãe conversar com Jacob para saber se ele estava realmente bem, mas ele também não disse nada a ela. Meu marido estava distante, solitário e perturbado desde que voltara e não parecia querer ajuda.




As aulas na Universidade ficaram um tédio sem Tyler. Kate, George, Victor e Lucy se afastaram de mim e de Jacob como se nós mesmo tivéssemos matado Tyler.

- Oi. - Eu sentei para almoçar com Jacob. Era a única hora do dia que ele não podia fugir de mim.

- Oi. - Ele respondeu esfregando os olhos, como se tivesse cansado.

Eu comecei a comer, observando-o. Ele não queria conversar, mas ao mesmo tempo sentia que ele estava agoniado com alguma coisa.

- Você quer me dizer alguma coisa, Jake?

- Não. Por quê? - Ele respondeu, me encarando sério e frustado.

- Não sei. Nós paramos de conversar há algum tempo e só trocamos algumas palavras desde o...

- Ok, Nessie. Já tivemos essa conversa antes. - Ele me interrompeu.

- Jacob. - Tentei tocar suas mãos sobre a mesa, mas ele as recolheu. 

- Não faça isso.

- Fazer o que?

- Ficar me mostrando seus pensamentos enquanto estamos almoçando.

- Eu não iria. Você sabe que mal uso meu dom para alguma coisa e que prefiro dizer com palavras aquilo que eu sinto.

- Que bom. - Ele disse, levantando da mesa.

Eu fui atrás dele, quase tropeçando, e tentei tocar seu braço, mas ele me segurou pelos ombros no meio do pátio.

- Nessie, pare com isso! - Ele me chamou a atenção.

- Parar com o que?

- Pare de me mostrar o que aconteceu! Eu já SEI o que aconteceu! - Ele gritou comigo e me deixou parada e atônita com todos olhando de camarote a nossa briga.

Eu decidi ir para casa antes que as lágrimas saíssem de meus olhos e ficassem expostas para todas as pessoas que me cercavam. Cheguei ao meu lar, sentei na cama, pensei e pensei... Com raiva, fiz uma mala para Jacob e deixei sobre a nossa varanda para que ele sentisse o que estava fazendo comigo.

Esta noite eu pedi para dormir na casa de minha família. Assim que cheguei com os olhos cheios de lágrimas, minha avó me colocou para dentro junto com a minha mochila e me fez um chocolate quente. Eu contei a ela sobre como Jacob estava esquisito e como eu queria passar um tempo longe dele (mesmo que fossem algumas horas) para que ele sentisse a minha falta. Ela me ouviu, me abraçou e depois me disse que tudo iria se resolver. Ela também me deu uma leve bronca por sair de casa, pois eu agora era uma mulher casada e não poderia largar meu marido por causa de uma pequena briga.

Estranhei o fato de meus pais não interromperem minha conversa com a minha avó e perguntei à ela onde estavam todos. Esme respondeu que eles resolveram fazer uma caça noturna por diversão e que Carlisle e ela decidiram ficar em casa. 

Coloquei meu pijama e escolhi o quarto dos meus pais para me deitar. Fiquei algum tempo esperando que Jacob me ligasse, me procurasse, mas algo me dizia que ele estava contente com a minha saída. Eu não entendia como e quando ele havia se transformado em uma pessoa fria e despreocupada comigo. Vários pensamentos se passaram, até que eu peguei no sono e tive sonhos estranhos e perturbados.

No dia seguinte, meus pais me acordaram com um delicioso café da manhã. Eu adorei ser mimada, mas mesmo assim não me sentia completa. Minha mãe e meu pai ouviram meus lamentos sobre Jacob e eu notei a troca de olhares entre eles quando eu disse que ele estava estranho comigo. O que será que eles sabiam? Resolvi que eles não iriam me contar tão cedo, então fui para minha aula.

Chequei meu celular antes de sair do carro. Nenhuma ligação perdida. Provavelmente, se eu estivesse morta agora Jacob nem perceberia. Caminhei até a minha sala e lembrei que hoje era quarta-feira. Dia que eu tinha uma aula de finanças com Jacob. Era uma aula simples e não obrigatória, mas optamos por fazê-la para que ficássemos mais próximos durante o nosso período na Universidade. Essa lembrança me fez ficar nostálgica sobre o nosso casamento, lua de mel e primeiros meses morando juntos. Será que a paixão tinha prazo de validade?

Jacob chegou meio atrasado na aula, quase quando o professor iria começar. Ele me olhou, abaixou a cabeça e sentou-se no único lugar vago, no fundo da sala. Eu não prestei atenção na aula e tentei focar em não virar a cabeça para trás e olhá-lo. 

A nossa turma de amigos parecia observar de longe o estado de meu relacionamento com Jacob e isto me deixava envergonhada. Já não bastava termos a fama de casal problemático e agora os boatos que estamos nos divorciando começaria. Teríamos que se mudar algum dia, eu sei, mas eu esperava que fosse mais tarde.
Depois de almoçar, segui para a minha sala de aula e no corredor observei Jacob e Kate conversando, sozinhos. Ela sorria de maneira sexy dissimulada e ele também sorria. Eu fiquei parada no meio do corredor e levei um esbarrão de alguém que não me dei o trabalho de olhar. O que eles estavam conversando? Jacob, pelo que eu saiba, não gostava dela. Meu corpo entrou em chamas de ciúmes e raiva por não saber o que estava acontecendo. Meus olhos começaram a escurecer e mesmo abertos eu não conseguia enxergar nada. Eu parecia estar cega. Entrei em desespero e senti minha pernas amolecendo. A última coisa que eu ouvi foi o grito de Jacob...





- A senhorita está bem? - A auxiliar de enfermagem me perguntou quando eu tentei sentar na maca.

- Acho que estou. Obrigada. - Agradeci o remédio que ela estava me dando, seja lá o que for.

- Vou chamar seu namorado. - Ela disse com um sorrisinho envergonhado.

Jacob chegou com as mãos no bolso e cara séria. Eu levantei da maca, coloquei meu casaco, lentamente, esperando que ele dissesse alguma coisa, mas ele ficou em silêncio. Peguei minha bolsa e sai para o estacionamento, com ele atrás de mim. Resolvi ir para casa, pois o dia hoje não estava bom e eu não queria ser a menina desmaiada no corredor na boca do povo hoje.

Entramos no carro, eu iria dirigir. Ainda não entendi porque ele estava indo comigo para casa, sendo que não falava comigo. Chegamos a nossa casa e ele fez questão de segurar a minha bolsa e deixá-la sobre a cama do nosso quarto, enquanto eu ia tomar banho.

Sai do banho e encontrei Jake sentado na cama, balançando o joelho como se tivesse um tique nervoso. Arqueei as sobrancelhas esperando alguma reação dele, mas tudo o que ele fez foi suspirar e olhar pra mim.

- Me desculpe por hoje. - Ele finalmente disse. Sua voz rouca dava a impressão que ele não falara há muito tempo com ninguém.

- Pelo que? Por conversar com Kate? Por me ignorar? - Perguntei, sarcástica.

- Por deixar você sozinha quando precisava de mim.

- Eu não preciso de você, Jacob. Só desmaiei hoje no corredor da Universidade sabe-se lá porque. Isto poderia acontecer com qualquer um...

Ele bufou e saiu da cama, me deixando sozinha. Eu tranquei a porta do nosso quarto e chorei. Parecia que quando tentávamos conversar as coisas só pioravam.




Acordei atrasada, então me vesti rapidamente e peguei minha bolsa para ir a Universidade. Vi que tinha algumas ligações do meu pai e da minha mãe no meu celular, mas eu só poderia retornar no almoço.

- Olá, Senhorita Sumida. - Melissa me cumprimentou. Ela e Seth estavam em um dos prédios da Universidade, de mãos dadas, conversando.

Eu olhei para as mãos deles unidas e fiquei triste. Comecei a pensar em Jacob e o drama me acolheu de tal maneira que eu esqueci de cumprimentá-los.

- Oi. - Eu tentei sorrir. - Almoço hoje?

- Sim, almoço hoje e nada de desmaiar no corredor. - Melissa brincou comigo e eu acabei rindo de leve. - Tchau, amor. 

Ela se despediu de Seth e veio atrás de mim.

- E então? - Ela me perguntou.

- E então o que? - Ela me agarrou pelo braço, nos conduzindo até a aula. Eu tentei me desvencilhar, mas ela era mais forte do que eu.

- Seth andou ligando para Jacob, mas ele não atende. Parece que algo aconteceu na reserva Quileute.

- O que aconteceu?

- Eu não sei. Seja lá o que for, eles já conseguiram resolver.

- E por que Jacob precisa saber disso?

- Também não sei. - Ela me respondeu. - Acho que Seth só queria conversar.

- Vou tentar pedir para Jacob retornar, mas não acho que ele queira falar com alguém agora.

Ela franziu a testa e eu me arrependi. Ela iria perguntar o que estava acontecendo entre nós dois, e eu ia acabar contando.

- Ok, vou te contar. Mas só se você prometer manter a boca fechada. Jacob vem me ignorando em todos os sentidos desde o sequesto. Ele não liga mais pra mim e faz questão de não discutir o que está acontecendo.

- O que? - Ela deu um gritinho. - Como assim?

- Olha, eu também não sei... Talvez ele não goste mais de mim.

- Nessie, isso é impossível! Jacob ama você.

- Ama, porém é só por causa do imprinting.

- Talvez você tenha razão... - Ela fez um biquinho, considerando que ela e Seth também estavam juntos só por causa do imprinting.

- Agora mantenha a droga da sua boca fechada. Não quero que ninguém saiba disso.

- Tudo bem. - Ela riu e meu arrependimento voltou. Ela não conseguiria manter a boca fechada de jeito nenhum.





- Ah! - Eu gritei e cai do sofã. Voltei da última aula direto para casa e decidi tirar uma soneca; pelo visto, falhei, já que era de noite e eu tinha dormido tempo demais.

- Você está bem? - Jacob apareceu da cozinha, enquanto eu continuava no chão, arfando por causa do pesadelo.

- Se você se importa, não.

- É claro que eu me importo. - Ele me estendeu a mão e eu aceitei, me levantando.

Ele voltou para a cozinha, me ignorando mais uma vez. Eu o segui e vi que ele estava preparando um sanduíche para comer. 

- Jacob. - Tentei.

- Sim.

- Olhe para mim. - Pedi.

Ele parou de preparar o sanduíche e olhou para mim.

- O que está acontecendo? - Eu perguntei.

- Não está acontecendo nada. - Ele respondeu.

- Não, por favor. - Implorei, enquanto ele sentava na mesa para começar a comer. - Me diga o que eu estou fazendo de errado.

- Você não está fazendo nada de errado.

- Eu não aguento mais, Jake. - As lágrimas surgiram e foi difícil escondê-las.

Ele veio até a mim e me abraçou. Ficamos um tempo sem dizer nada.

- Você promete que vamos voltar ao normal?

Ele me abraçou mais forte e sussurou um 'sim', entretanto algo na resposta dele me deixava incerta quanto ao nosso relacionamento.





Sexta-feira à noite resolvemos passar em casa e Jacob pediu uma pizza. Eu não estava com fome, e sim, com sede, mas ele insistiu para que eu comesse um pedaço.

- Está um delícia!

- Não te falei? - Ele confirmou sorrindo e me beijou.

Passei os braços em volta do seu pescoço e ele correspondeu. Estávamos no sofá então decidi não prolongar muito o beijo. Parei-o com as duas mãos segurando em seu rosto e, surpreendemente, fui empurrada e cai no chão.

- Jake! - Gritei. Ele havia me empurrado e agora eu estava caída de bunda no chão. Ótimo, eu iria ter marcas roxas pelo corpo.

- Desculpe, Nessie. Eu... - Ele não conseguiu terminar e veio me ajudar a me levantar.

Eu o abracei e toquei seus braços, fortes e quentes como sempre. Ele fez uma careta e tirou ambas as mãos de seus braços. 

- Jake, está tudo bem com você? 

- Sim. - Ele respondeu, meio relutando em me contar a verdade.

- Por que você está me afastando?

- Não estou te afastando.

- Me diga a verdade, Jacob Black. Você está saindo com alguém?

- O que? - Ele quase riu. - É claro que não!

- Pode me dizer, Jake. Eu prefiro ser magoada do que enganada! Você está me traindo com Kate?

Ele suspirou e veio até a mim novamente. Eu me preparei para a verdade, me corroendo por dentro para me magoar assim que ele admitisse que estava saindo com ela ou qualquer outra garota.

- Não. Não estou saindo com ninguém, só com você. - Ele respondeu, finalmente.

Eu toquei seu rosto, pedindo a verdade.

- Por favor, por favor, Jacob... - Eu estava chorando agora. - Me conte o que está havendo entre nós dois. 

Ele tentou tirar minhas mãos de seu rosto, novamente, mas eu as mantive lá.

- Aaaaaaaaaaaaaaaaah! - Ele gritou. E me empurrou para longe em seguida. Desta vez, eu não cai. Estava assustada demais com o grito que Jake deu.

- Jake! - Eu fui até ele e toquei sua mão e seu grito foi mais forte. Ele parecia agoniado, então eu o abracei, mas ele continuava gritando.

- Para com isso, Nessie! Para! - Ele me empurrou e eu cai em cima na nossa mesa de centro. Vi vidros para todo o lado, mas não me importei porque era impossível tirar os olhos de Jacob. Ele estava com as duas mãos na cabeça, gritando de dor, de agonia. Eu queria salvá-lo e era tarde demais.

Seus gritos cessaram e o lobo gigante saiu de dentro dele. O olhar do lobo parecia agoniado e ao mesmo tempo com raiva. Ele rosnou para mim e eu, pela primeira vez em toda a minha vida, senti medo de Jacob Black – a pessoa que eu não conhecia mais.

PARA VER TODOS OS CAPÍTULOS DESSA FANFIC, CLIQUE AQUI



                                                         Atenção!
Se você ainda não curtiu a nossa página no Facebook, curta aqui. E caso queira ser notificado quando postarmos um novo capítulo, siga a imagem abaixo e clique em 'Obter Notificações'.


Seu comentário é muito importante para nós, deixe sua opinião!

8 comentários:

  1. por favor continuem pois quero saber o que vai acontecer com o casamento da Renesmee com o Jacob.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Claudia! Acabei de postar: http://everythingabouttwilighttd.blogspot.com.br/2013/12/o-diario-de-renesmee-iv-capitulo-14.html

      Beijos pra vc!

      Excluir
  2. adorei, estou super ansiosa para saber o q vai acontecer no proximo capitulo
    nao demorem muito,por favor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Demoramos um pouquinho, mas é por conta da correria de final de ano :)

      Espero que goste do novo capítulo que eu acabei de postar! Abraços pra vc!

      Excluir
  3. adorei. quando vai sair o proximo capitulo? estou super ansiosa
    bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!!

      Acabei de postar um novo capítulo > http://everythingabouttwilighttd.blogspot.com.br/2013/12/o-diario-de-renesmee-iv-capitulo-14.html

      Boa leitura! Beijos

      Excluir

Pedimos que comentem suas opiniões, críticas e ideias com o devido respeito, ou seja, sem palavras obscenas ou grosseiras. Caso contrário, seu comentário será deletado.

Sintam-se a vontade para perguntar e tirar suas dúvidas sobre qualquer postagem do blog. Se quiser que uma resposta de volta, deixe seu e-mail. Abraços!